× ENTRAR CADASTRE-SE

O Mistério das Sementes do Oriente

Por CBC Agronegócios

13 de Outubro de 2020

 

Longe de ser o título de um filme ou livro de ficção, misteriosas sementes começaram a ser enviadas para os Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Portugal e, para o Brasil, desde o final de julho.

Seriam elas uma arma de bioterrorismo, o início de um cenário distópico ou tão somente uma jogada de marketing? Saiba o que pode estar por trás das sementes vindas do Oriente.

Mamão não produz grumixama

Uma simples semente traz consigo toda a promessa de uma árvore e de muitos frutos. É só perguntar para qualquer trabalhador do campo. Assim, é vital saber o que está sendo semeado. Ora, se queremos grumixama, devemos plantar sementes de grumixama, não de mamão, por exemplo.

Por esse motivo, fazer o plantio daquilo cujo fruto não se conhece ou não se sabe, pode trazer sérias consequências para o solo, para as pessoas e todo um bioma.

Essa é a razão pela qual as autoridades têm solicitado que não se plante nada que tem chegado dos países asiáticos, apesar de ainda não se ter certeza do intento dessa distribuição gratuita.

Marketing ou Bioterrorismo?

Uma das hipóteses levantadas é a prática do “brushing scam”, que consiste em efetuar compras falsas também com clientes fantasmas, ou ainda com dados coletados ilicitamente de pessoas reais.

O intuito dessa estratégia de marketing é gerar reputação no e-commerce com avaliações positivas no site, dizendo que receberam o produto antes do prazo, que ganharam um brinde da empresa e coisas do gênero, o que, de qualquer modo, é ilícito.

Entretanto, há quem fale em bioterrorismo, principalmente porque apesar de parecerem inofensivas, das 258 amostras colhidas nos estados brasileiros, pelo MAPA, 39 amostras foram analisadas, chegando-se ao seguinte resultado:

  • 25 continham 3 tipos diferentes de fungos;
  • 2 possuíam bactérias;
  • 1 apresentou uma quantidade de ácaros vivos;
  • 4 foram consideradas pragas quarentenárias.

Pragas quarentenárias são, segundo a Embrapa, “qualquer espécie, raça ou biótipo de planta, animal ou agente patogênico que danifica plantas ou produtos vegetais”.

Logo, os transtornos e prejuízos que essas plantas e sementes são capazes de produzir podem ser incalculáveis. Esse fato, por si só, se constitui em um perigo muito grande à agricultura brasileira, que tem batido recorde atrás de recorde em sua produção. E queremos que assim continue, certo?

Semeadura e colheita

Dizem que plantar é opcional, mas a colheita… essa é certa.  Dessa forma, ainda que não haja teoria da conspiração alguma e tudo não passe de marketing agressivo e ilegal, é bom que se diga que tais sementes não devem ser plantadas de modo algum, e muito menos descartadas em lixo comum, uma vez que podem encontrar condições propícias para germinar, contaminar o solo, disseminando, assim, doenças e pragas.

A despeito de todos os alertas dizendo o contrário, um homem no Arkansas, Estados Unidos, resolveu plantar e observou um crescimento anormal, fora do comum, após a germinação do que não se sabe o que. As autoridades removeram a planta, levando-a para um laboratório. Perigoso, não é mesmo?

Caso você receba essas sementes, cascas de árvores e outros materiais biológicos, não abra a embalagem. Guarde-a em lugar seguro, pois ela também pode ser útil para rastrear sua origem. Em seguida, não hesite em procurar o MAPA ou a autoridade estadual de agricultura da sua região.

Através da CBC Agronegócios você pode se conectar com milhares de empresas para comprar ou vender seus insumos agrícolas. Basta se cadastrar, colocar sua oferta ou negociar com outras partes. Clique aqui para se cadastrar

Já é cadastrado, crie seu hábito produtivo. Insira indicações e acompanhe mercado.